Atalho: 6YG9GWT
Gostou do artigo? Compartilhe!

Nanismo: o que é? Quais são as causas? Como evolui?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é nanismo?

Fala-se em nanismo quando um indivíduo tem altura muito menor (cerca de 20% menos) do que a média das demais pessoas da mesma população. As pessoas vítimas desse pequeno crescimento são popularmente chamadas de anões. Em geral, esses indivíduos têm uma estatura menor que 1,45 metro no caso de homens e 1,40 metro no caso de mulheres.

O nanismo também pode ocorrer em animais. Há muitos tipos de nanismo, classificados segundo diversos parâmetros. Quanto às dimensões corporais são dois os tipos:

  • Nanismo proporcional: em que o tamanho dos órgãos mantém proporcionalidade entre si e com a altura do indivíduo.
  • Nanismo desproporcional: em que pelo menos alguns órgãos são de tamanho maior, desproporcional à estrutura óssea do indivíduo. Essa última condição é também chamada de displasias esqueléticas porque o que há, em geral, são displasias (anomalias do desenvolvimento de um órgão, geralmente de causa genética) ósseas, que acometem severamente a coluna vertebral1.

Segundo a etiologia2 do problema, pode-se falar em:

  • Nanismo hipofisário ou pituitário: a hipófise3 ou a glândula4 pituitária é responsável pela produção do hormônio5 do crescimento.
  • Acondroplasia (a=privação, chóndros=cartilagem6 e plásis=formação): defeito do crescimento ósseo a partir das cartilagens7.

As menores pessoas existentes no mundo, em razão do nanismo, podem chegar à vida adulta com apenas 60 centímetros de altura. Os anões, contudo, têm inteligência normal e as mesmas capacidades das demais pessoas, sendo limitados apenas pela sua estatura.

Quais são as causas do nanismo?

O nanismo normalmente tem causas genéticas que podem ou não ser hereditárias. Algumas vezes, a baixa estatura resulta de uma parada prematura do crescimento esquelético, causada por uma insuficiência8 do hormônio5 do crescimento, secretado pela hipófise3 (nanismo hipofisário). Na acondroplasia, a baixa estatura está relacionada a deformidades no esqueleto9, com pernas e braços pequenos e cabeça10 grande, mãos11 pequenas e dedos curtos.

Quais podem ser os problemas enfrentados pelos anões na sociedade?

A vida social comum não é adaptada para as pessoas desviantes como os anões, os cadeirantes, os deficientes visuais ou auditivos, etc. e estas pessoas acabam sofrendo um pouco mais para se adaptarem à vida cotidiana. Além disso, as discriminações sociais acrescentam outras dificuldades a elas.

Dos impedimentos inerentes à sua baixa estatura e das discriminações da sociedade decorrem:

  • Muitas vezes os anões são (indevidamente) considerados feios e incapazes e tratados como aberrações da natureza, tornando-se vítimas de piadas e brincadeiras depreciativas que abatem a sua autoestima.
  • Eles podem ter dificuldades de encontrar empregos ou estabelecer relacionamentos amorosos.
  • Muitas vezes podem enfrentar dificuldades de acesso a diversos bens públicos, como por exemplo, telefones e banheiros, caixas de bancos, degraus, corrimãos, balcões, prateleiras, meios de transporte, etc.

Quais são os “sintomas” do nanismo?

Geralmente as pessoas afetadas pelo nanismo pituitário têm algum atraso do desenvolvimento sexual na adolescência. Suas características físicas são a baixa estatura, porém com cabeça10 e membros proporcionais ao corpo. As pessoas afetadas de acondroplasia, além da baixa altura apresentam malformações12 na coluna e no coração13 ou problemas respiratórios que podem gerar complicações que levem o indivíduo à morte. Nelas, o tamanho da cabeça10 é desproporcional ao corpo, os pés são tortos, os membros curtos e o tronco alongado.

Os anões podem ter também uma acentuada proeminência da testa, olhos14 mais distanciados, mandíbula15 crescida, arcada dentária16 pequena e dentes desalinhados.

Existe “tratamento” para o nanismo?

Para o nanismo hipofisário (ou pituitário) existe tratamento à base de hormônios do crescimento. Para a acondroplasia, somente alguns sintomas17 podem ser tratados, o pé torto.

Alguns casos de nanismo podem ser detectados ainda durante a gestação e podem ser tratados com medicações que melhorem o desenvolvimento ósseo. Em outros casos, o problema só pode ser detectado e tratado a partir da infância.

Como evolui o nanismo?

Alguns anões desenvolvem uma chamada “hipertermia maligna”, um superaquecimento do organismo que pode ser agravado com alguns anestésicos.

Em alguns casos, uma compressão dos órgãos pela estrutura óssea, pode diminuir a expectativa de vida18 dessas pessoas. Contudo, muitas delas podem viver normalmente, como outra qualquer.

Mesmo pais de estaturas normais podem gerar um filho com nanismo e nem todo anão irá gerar filhos anões.

ABCMED, 2013. Nanismo: o que é? Quais são as causas? Como evolui?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/350819/nanismo+o+que+e+quais+sao+as+causas+como+evolui.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Coluna vertebral:
2 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
3 Hipófise:
4 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
5 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
6 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
7 Cartilagens: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
8 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
9 Esqueleto:
10 Cabeça:
11 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
12 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
13 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
14 Olhos:
15 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
16 Arcada Dentária: A estrutura composta curva da dentição natural e as cristas residuais ou resquícios destas depois da perda de alguns ou de todos os dentes naturais. (Dicionário Médico Stedman. 27a. ed. Rio de Janeiro DF
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Endocrinologia Pediátrica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

09/05/2016 - Comentário feito por cazalbé
muito sucinto e eficaz meu chapa.
muito sucinto e eficaz meu chapa.

17/09/2015 - Comentário feito por bruna
esse sait e muito legal e interessante
esse sait e muito legal e interessante

06/03/2014 - Comentário feito por raquel
Re: Nanismo: o que é? Quais são as causas? Como evolui?
muito boa essa explicaçao para quem nao entende do assunto, rapida objetiva

17/10/2013 - Comentário feito por yasmin
Re: Nanismo: o que é? Quais são as causas? Como evolui?
muito boa essa explicação

  • Entrar
  • Assinar