Gostou do artigo? Compartilhe!

Medicina desportiva ou medicina esportiva - o que faz esta especialidade médica?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é medicina desportiva?

A Medicina Desportiva ou Medicina Esportiva é a especialidade médica que inclui aspectos teóricos e práticos sobre a prevenção, diagnóstico1, tratamento e reabilitação de lesões2 ocasionadas pelos esportes, contribuindo para uma maximização do rendimento desportivo do atleta.

Embora ela se aplique principalmente a atletas de alto nível, a Medicina Desportiva não se restringe a eles e visa também outros atletas e mesmo pessoas não atletas que procuram utilizar a atividade física como meio de melhorar a saúde3. Enfim, pode-se dizer que, num sentido amplo, a Medicina Desportiva é a especialidade médica que cuida das pessoas que buscam seu bem-estar por meio de exercícios físicos ou de alguma atividade esportiva.

Por que uma medicina desportiva?

A Medicina Desportiva pode ajudar a melhorar a qualidade de vida de algumas pessoas, adaptando uma atividade física complementar a eventuais tratamentos e na relação do atleta com o seu esporte, reduzindo as chances de complicações e prevenindo lesões2. Essas atividades devem ser orientadas por um médico para que possam plenamente promover ou reconquistar a resistência, estimular a regeneração de células4 do organismo, renovar neurônios5 e melhorar índices de frequência cardíaca e pressão arterial6.

Além disso, o nível atingido atualmente pelas competições esportivas, em todos os esportes, não mais comportam uma assistência médica não especializada. O médico especializado em Medicina Desportiva tem formação específica para a prestação dos cuidados de saúde3 do atleta, devendo sempre trabalhar em estreita colaboração com outras especialidades médicas e outras profissões: fisioterapeutas, nutricionistas, ortopedistas, psicólogos, etc. Hoje em dia, a Medicina Esportiva vem sendo aplicada também na reabilitação de pessoas que passaram por cirurgias ou aquelas que são sedentárias.

Quais são as lesões2 mais comuns em cada esporte?

Cada esporte expõe seu praticante a determinadas lesões2 específicas. As decorrentes de esportes de contato, como o futebol, o basquete ou o handebol, por exemplo, são diferentes das ocasionadas por outras modalidades praticadas individualmente.

No conjunto, as lesões2 mais comuns são as entorses7, também chamadas de torções, contusões, distensões, estiramentos e contraturas musculares.

  • No futebol, os atletas são mais propensos a torções, distensões e contusões, principalmente nos tornozelos e joelhos.
  • Nas lutas livres, os riscos são de hematomas8, contusões, luxações, rompimento de ligamentos9 ou fraturas.
  • Na natação, as lesões2 podem acontecer nos ombros e na coluna lombar, especialmente nas modalidades de nado borboleta e nado de peito10.
  • No tênis, as lesões2 mais comuns são musculares da panturrilha11, luxação12 nos ombros, de mão13 e punho, além de cotovelos e coluna lombar.
  • No voleibol, a entorse14 de tornozelo15 é a lesão16 traumática aguda mais comum.
  • No basquete, a contusão17 sai na frente, mas o atleta também pode sofrer com tendinites no joelho ou entorse14 do tornozelo15.
  • Na corrida, o atleta tende a sofrer com tendinites ou canelites. E assim por diante...
Saiba mais em nossos artigos sobre "Entorses7", "Luxações", "Tendinite18", "Equimoses19" e "Torção20 no tornozelo15"

 

ABCMED, 2016. Medicina desportiva ou medicina esportiva - o que faz esta especialidade médica?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/1270833/medicina-desportiva-ou-medicina-esportiva-o-que-faz-esta-especialidade-medica.htm>. Acesso em: 4 dez. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
2 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
6 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
7 Entorses: É a torção de uma articulação, com lesão dos ligamentos (estrutura que sustenta as articulações).
8 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
9 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
10 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
11 Panturrilha: 1. Proeminência muscular, situada na face posterossuperior da perna, formada especialmente pelos músculos gastrocnêmio e sóleo; sura, barriga da perna. 2. Por extensão de sentido, enchimento usado por baixo das meias, para melhorar a aparência das pernas.
12 Luxação: É o deslocamento de um ou mais ossos para fora da sua posição normal na articulação.
13 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
14 Entorse: Distensão traumática de um ligamento que produz ruptura do mesmo, acompanhada de dor, hematoma e dificuldade para movimentar a articulação comprometida.
15 Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.
16 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
17 Contusão: Lesão associada a um traumatismo que pode produzir desvitalização de tecidos profundos.
18 Tendinite: Inflamação de um tendão. Produz-se em geral como conseqüência de um traumatismo. Existem doenças imunológicas capazes de produzir tendinite entre outras alterações.
19 Equimoses: Manchas escuras ou azuladas devido à infiltração difusa de sangue no tecido subcutâneo. A maioria aparece após um traumatismo, mas pode surgir espontaneamente em pessoas que apresentam fragilidade capilar ou alguma coagulopatia. Após um período de tempo variável, as equimoses desaparecem passando por diferentes gradações: violácea, acastanhada, esverdeada e amarelada.
20 Torção: 1. Ato ou efeito de torcer. 2. Na geometria diferencial, é a medida da derivada do vetor binormal em relação ao comprimento de arco. 3. Em física, é a deformação de um sólido em que os planos vizinhos, transversais a um eixo comum, sofrem, cada um deles, um deslocamento angular relativo aos outros planos. 4. Em medicina, é o mesmo que entorse. 5. Na patologia, é o movimento de rotação de um órgão sobre si mesmo. 6. Em veterinária, é a cólica de alguns animais, especialmente a do cavalo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Medicina Esportiva?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.