Gostou do artigo? Compartilhe!

Azia: o que fazer para evitá-la?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é azia1?

Azia1 (ou pirose2) é uma sensação de queimação sentida abaixo ou atrás do esterno3 (osso do peito4), na região epigástrica (onde fica o estômago5) ou acima dela, acompanhada ou não de outros sintomas6. Pode-se dizer, então, que ela vai da “boca do estômago” até a garganta7. Normalmente, a azia1 é mais frequente em homens que em mulheres.

Quais são as causas da azia1?

As causas da azia1 são tantas e tão variadas que praticamente todas as pessoas têm azia1 de vez em quando. Embora nem sempre as causas da azia1 sejam esclarecidas, o comer rapidamente, usar roupas apertadas e comer alimentos muito temperados, ácidos ou gordurosos contribuem para o seu aparecimento. Mas a causa mais frequente de uma azia1 repetitiva é a doença do refluxo gástrico. Em condições normais, quando o alimento ou a bebida entram no estômago5, o esfíncter8 que separa o estômago5 do esôfago9 se fecha. Se, no entanto, ele não fizer isso eficientemente, o conteúdo do estômago5 pode refluir para o esôfago9 e irritar este órgão, provocando azia1. A azia1 é, pois, entre outras coisas, sinal10 de mau funcionamento do esfíncter8 localizado entre o esôfago9 e o estômago5. Outra causa comum de azia1 é a hérnia11 de hiato, que acontece quando parte do estômago5 se projeta para dentro da cavidade torácica. Também a gravidez12 e o uso de certos medicamentos podem provocar ou intensificar a azia1.

Quais são os principais sinais13 e sintomas6 da azia1?

Os principais sintomas6 da azia1 são uma sensação de “queimação” retroesternal (atrás do esterno3), má digestão14, gosto amargo ou ácido na boca15, regurgitação16 (subida do conteúdo do estômago5 até a garganta7), arrotos, tosse e dor no peito4. A dor da azia1 às vezes sobe pelo peito4 e se irradia para a garganta7. Algumas dores de ataques cardíacos podem ser confundidas com a da azia1. Nem todas as pessoas apresentam todos estes sintomas6 ao mesmo tempo. Na gravidez12, a ocorrência de azia1 é comum porque o crescimento do bebê empurra o estômago5 para cima, facilitando o refluxo do conteúdo gástrico17 para o esôfago9.

Como o médico diagnostica a azia1?

A azia1 simples pode ser diagnosticada apenas pela descrição dos sintomas6, mas pode ser confundida com a dispepsia18 ou demandar um maior esclarecimento das suas causas. Se o diagnóstico19 não for claro, alguns exames podem ser solicitados. Quase sempre o primeiro deles é uma endoscopia20 digestiva alta, à qual se seguirão outros exames que o quadro clínico sugira.

A azia1 persistente requer uma investigação rigorosa, principalmente se:

  • Associada a vômitos21 com sangue22 ou a fezes com aspecto de borra de café.
  • A pessoa sente forte dor no peito4.
  • Houver dificuldade de engolir e/ou perda de peso.
  • Piora com o uso de antiácidos23.

Como o médico trata a azia1?

A maioria das azias esporádicas pode ser tratada com recursos simples como beber chá de hortelã ou tomar bicarbonato de cálcio dissolvido em água ou, ainda, um antiácido24. As pessoas com tendência à azia1 só devem beber água no intervalo entre as refeições, evitando tomá-la DURANTE as refeições. Aquelas azias consequentes a enfermidades têm o seu tratamento dependente da evolução das mesmas.

Como evolui a azia1?

Se a azia1 dever-se ao refluxo gástrico ela poderá, com o passar do tempo, danificar o revestimento do esôfago9 e causar problemas graves, inclusive malignos.

Como prevenir a azia1?

Mudar hábitos alimentares pode ajudar a prevenir a azia1 e outros sintomas6 relacionados ao sistema digestivo25.

  • Evitar álcool, cafeína, bebidas com gases, chocolate, frutas cítricas, menta e hortelã, alimentos picantes ou gordurosos, tomate e molho de tomate.
  • Não fazer exercícios ou deitar logo depois de comer.
  • Fazer refeições menores e mais frequentes.
  • Evitar usar cintos ou roupas muito ajustadas na cintura.
  • Procurar emagrecer quando necessário ou manter o peso corporal sob controle.
  • Levantar a cabeceira da cama cerca de quinze centímetros.
  • Deitar sobre o lado esquerdo do corpo ao dormir.
  • Não fumar.
  • Procurar reduzir o estresse.
  • Uma bolacha de água e sal ou pedacinhos de miolo de pão podem absorver o ácido gástrico26 e ajudar a evitar a azia1.

Se tudo isso não for suficiente, recorrer aos medicamentos, sob supervisão médica.

Quais são as complicações da azia1?

Na maioria das vezes a azia1 é um sintoma27 simples, mas pode ser uma das complicações de algumas enfermidades graves. O refluxo gástrico, uma das principais causas de azia1, pode se complicar com o desenvolvimento de uma neoplasia28 do esôfago9 se não for tratado adequadamente.

ABCMED, 2014. Azia: o que fazer para evitá-la?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/549532/azia-o-que-fazer-para-evita-la.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
2 Pirose: Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, ela pode ser acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago; azia.
3 Esterno: Osso longo e achatado, situado na parte vertebral do tórax dos vertebrados (com exceção dos peixes), e que no homem se articula com as primeiras sete costelas e com a clavícula. Ele é composto de três partes: corpo, manúbrio e apêndice xifoide. Nos artrópodes, é uma placa quitinosa ventral do tórax.
4 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
5 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
8 Esfíncter: Estrutura muscular que contorna um orifício ou canal natural, permitindo sua abertura ou fechamento, podendo ser constituído de fibras musculares lisas e/ou estriadas.
9 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
10 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
11 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
14 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
15 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
16 Regurgitação: Presença de conteúdo gástrico na cavidade oral, na ausência do reflexo de vômito. É muito freqüente em lactentes.
17 Conteúdo Gástrico: Conteúdo compreendido em todo ou qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL
18 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
19 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
20 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
21 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
22 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
23 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
24 Antiácido: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
25 Sistema digestivo: O sistema digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
26 Ácido Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.
27 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
28 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Gastroenterologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.