Atalho: 6LFJ1BE
Gostou do artigo? Compartilhe!

Astigmatismo: como é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é astigmatismo1?

Astigmatismo1 é uma forma de anomalia da visão2 que consiste na formação de vários focos da imagem percebida, em vários eixos diferentes. Nos casos de astigmatismo1 a curvatura da córnea3 é ovalada, e não redonda como normalmente, e esta alteração faz com que a luz se refrate em vários pontos da retina4, em vez de se focar em apenas um ponto, como é normal. As imagens percebidas ficam embaçadas e, tanto os objetos próximos como os distantes, aparecem como distorcidos, como se estivessem sendo vistos através de um vidro ondulado.

Quais são as causas do astigmatismo1?

A córnea3, que geralmente tem uma superfície esférica, torna-se ovalada no astigmatismo1, como uma bola de futebol americano. Em geral, o astigmatismo1 existe desde o nascimento e quase não varia durante a vida, mas pode surgir também depois de um trauma, uma cirurgia ocular ou após doenças oculares. Essa deformidade quase sempre é hereditária e pode ocorrer em conjunto com a hipermetropia5 ou com a presbiopia6. Com o passar dos anos, pode desenvolver-se um astigmatismo1 ligeiro, porque os milhares de pestanejamentos diários podem levar a uma alteração da curvatura da córnea3.

Quais são os sinais7 e sintomas8 do astigmatismo1?

O astigmatismo1 leve pode ser assintomático, mas o astigmatismo1 mais severo causa visão2 borrada, astenopia (fadiga9 visual provocada por um esforço para acomodar a visão2), fadiga9 e dores de cabeça10.

Como o médico diagnostica o astigmatismo1?

Além da anamnese11 e do exame físico, o oftalmologista12 utiliza diversos aparelhos para visualizar e medir as alterações oculares.

Como o médico trata o astigmatismo1?

Pode-se corrigir o astigmatismo1 com óculos, lentes de grau ou cirurgia. Cabe ao oftalmologista12 fazer a opção entre as diversas possibilidades, levando em conta considerações que envolvem a saúde13 ocular, o status refrativo e o estilo de vida dos pacientes. Os óculos em geral são a opção mais segura; lentes de contato rígidas de gás permeável geralmente permitem que o paciente atinja uma melhor acuidade visual14 que os óculos, nas pessoas com ceratocone (doença na qual a córnea3 se torna mais fina e tem seu formato modificado); a cirurgia deve ser usada para pessoas que têm condições que contraindiquem o uso de lentes corretivas.

Como prevenir o astigmatismo1?

Alguns alimentos ajudam a retardar o astigmatismo1:

  • Zinco (sementes de girassol, lentilhas e ricotta).
  • Selênio (castanha-do-pará, salmão, fígado15 bovino, camarão cru, ostras cruas, farelo de trigo).
  • Vitamina16 A (cenouras, batata doce e espinafre).
  • Vitamina16 C (guava e todos os sumos de citrinos).
  • Vitamina16 E (germe17 de trigo, óleo de milho, amendoim e pepino).

Como evolui o astigmatismo1?

O astigmatismo1 evolui com o tempo, mais ou menos até os 23 anos, quando se estabiliza.

ABCMED, 2012. Astigmatismo: como é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/314270/astigmatismo+como+e.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Astigmatismo: Defeito de curvatura nas superfícies de refração do olho que produz transtornos de acuidade visual.
2 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
3 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
4 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
5 Hipermetropia: Transtorno ocular em que existe uma dificuldade para ver objetos de perto. Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais e, mais recentemente, com o uso de cirurgia a laser.
6 Presbiopia: Alteração da visão associada ao envelhecimento. Neste distúrbio existe uma maior rigidez do cristalino (órgão do olho que é responsável pela acomodação visual, ou seja, a propriedade que nos permite enxergar objetos próximos e distantes), que produz dificuldade para ver objetos próximos.
7 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
10 Cabeça:
11 Anamnese: Lembrança pouco precisa, reminiscência, recordação. Na filosofia platônica, é a rememoração gradativa através da qual o filósofo redescobre dentro de si as verdades essenciais e latentes que remontam a um tempo anterior ao de sua existência empírica. Na medicina, é o histórico de todos os sintomas narrados pelo paciente sobre o seu caso clínico. É uma espécie de “entrevista” feita pelo profissional da saúde, em que o paciente é submetido a perguntas que ajudarão na condução a um diagnóstico mais preciso. Ela precede o exame físico em uma consulta médica.
12 Oftalmologista: Médico especializado em diagnosticar e tratar as doenças que acometem os olhos. Podem prescrever óculos de grau e lentes de contato.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Acuidade visual: Grau de aptidão do olho para discriminar os detalhes espaciais, ou seja, a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos.
15 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
16 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
17 Germe: Organismo microscópico (vírus, bactérias, parasitas unicelulares, fungos) capaz de produzir doenças no homem e outros animais.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.