Gostou do artigo? Compartilhe!

Tomar água em jejum - é mesmo benéfico?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Por que tomar água em jejum?

Há uma crença popular de que beber alguns copos de água imediatamente após acordar, em jejum, é bom para a saúde1. Esse é um hábito popular no Japão, onde acredita-se que esta prática pode tratar várias doenças, como dores de cabeça2, dores no corpo, melhoria do sistema cardiovascular3, artrite4, taquicardias, epilepsia5, excesso de gordura6, bronquite, asma7, tuberculose8, meningite9, doenças nos rins10 e urina11, vômitos12, gastrite13, diarreia14, diabetes15, constipação16, todas as doenças oculares, do útero17, câncer18, distúrbios menstruais, doenças do ouvido, nariz19 e garganta20.

Considedrada assim, com abrangência tão ampla, beber água em jejum parece ser uma panaceia sem sentido. No entanto, a água produz vários benefícios ao organismo:

  1. Uma hidratação adequada é importante para o funcionamento correto de todo o organismo, principalmente o cérebro21.
  2. O consumo adequado de água ajuda a eliminar os resíduos e nutrientes desnecessários, através da urina11, e ajuda na dissolução dos nutrientes a serem absorvidos e transportados pelo sangue22 para as células23 do corpo.
  3. A água ajuda a manter a elasticidade24 e a tonicidade da pele25 e também atua como um lubrificante para os músculos26 e articulações27.
  4. Mas ingerir água em excesso também pode ser prejudicial! A pessoa urina11 mais e, ao urinar, também perde sais minerais, cujo equilíbrio é necessário para o bom funcionamento do organismo.
  5. Não se deve beber mais de três litros de água por dia, pois isso faz os rins10 trabalharem mais e sem necessidade.
Leia sobre "Constipação16 em adultos", "Meu filho tem constipação16", "Alimentos laxativos28 e constipantes" e "Desidratação29".

Como tomar água em jejum?

Apesar de não haver estudos que comprovem a eficácia deste hábito, a Associação Médica do Japão aconselha que a “terapia da água” deva ser feita da seguinte maneira:

  • Ao acordar, antes até de escovar os dentes, deve-se beber quatro copos de água.
  • Não beber ou comer mais nada nos 45 minutos seguintes. Passado este tempo, a pessoa pode comer e beber normalmente.
  • Não comer nem beber nada até duas horas depois do café da manhã.
  • Preferivelmente, a água deve estar na temperatura ambiente ou morna e não deve conter flúor ou outros químicos.

A princípio pode ser difícil tomar água pela manhã, mas com o tempo esse hábito ficará mais fácil e mesmo automatizado e o próprio organismo vai começar a solicitar essa ingestão naturalmente. Para que a pessoa se acostume com o consumo de água, ela deve começar com pequenas quantidades. Inicie tomando um copo de água, vá aumentando progressivamente para 2, 3 e 4 copos. Para algumas pessoas, é útil complementar os benefícios da água com um pouco de suco do limão.

Quais são os benefícios de tomar água em jejum?

  1. Beber água em jejum pela manhã ajuda na produção de novas células musculares30 e sanguíneas e depura o corpo de toxinas31 indesejadas.
  2. Tomar água em jejum auxilia no equilíbrio do sistema linfático32 do corpo, ou seja, facilita a drenagem33 da linfa34.
  3. Beber água em jejum ao acordar limpa o intestino, fazendo com que os nutrientes sejam absorvidos mais facilmente ao longo do dia.
  4. A ingestão de água ao acordar contribui para o tratamento de várias doenças, como as relacionadas anteriormente.
  5. Beber água em jejum ao acordar acelera o metabolismo35 em até 25%, aumentando a queima calórica durante todo o dia e provendo uma inibição do apetite, sendo uma boa tática para ajudar a emagrecer.
  6. A água é um importante combustível para o cérebro21, 75% do qual é feito de água. A hidratação tem grande influência sobre ele.
  7. Beber água em jejum evita a constipação16, já que a principal causa da constipação16 é a desidratação29.

As bebidas alcoólicas, ao contrário, desidratam muito o corpo e podem anular os benefícios de tomar água.

Veja também sobre "Circulação36 da linfa34", "Drenagem33 linfática" e "Dicas para emagrecer".

 

ABCMED, 2018. Tomar água em jejum - é mesmo benéfico?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1314618/tomar+agua+em+jejum+e+mesmo+benefico.htm>. Acesso em: 17 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Cabeça:
3 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
4 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
5 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
8 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
9 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
10 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
11 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
12 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
13 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
14 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
15 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
16 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
17 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
18 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
19 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
20 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
21 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
22 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
23 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
24 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
26 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
27 Articulações:
28 Laxativos: Mesmo que laxantes. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
29 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
30 Células Musculares: Células contráteis maduras, geralmente conhecidas como miócitos, que formam um dos três tipos de músculo. Os três tipos de músculo são esquelético (FIBRAS MUSCULARES), cardíaco (MIÓCITOS CARDÍACOS) e liso (MIÓCITOS DE MÚSCULO LISO). Provêm de células musculares embrionárias (precursoras) denominadas MIOBLASTOS.
31 Toxinas: Substâncias tóxicas, especialmente uma proteína, produzidas durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capazes de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
32 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
33 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
34 Linfa: 1. Pode referir-se à água, especialmente a límpida, no uso formal. 2. Líquido orgânico originado do sangue, composto de proteínas e lipídios, que circula nos vasos linfáticos e transporta glóbulos brancos, especialmente os linfócitos T. 3. Qualquer humor aquoso.
35 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
36 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.