Gostou do artigo? Compartilhe!

Queda de alturas: como é e quais são os primeiros socorros à vítima?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são quedas de alturas?

As quedas de alturas são aquelas em que a pessoa cai do plano em que se encontra para outro abaixo dele. Elas causam lesões1 graves e por vezes fatais a cada ano e aumentam em muito a morbidade2 e mortalidade3 das pessoas envolvidas. Quedas de altura são quedas verticais que ocasionam brusca desaceleração vertical do corpo, com forte impacto sobre uma superfície, que pode ter várias características diferentes.

As lesões1 ocasionadas por essas quedas diferem das lesões1 causadas por uma brusca desaceleração horizontal como as que ocorrem, por exemplo, em acidentes com veículos.

Quais são as causas da queda de alturas?

Quedas de lugares altos são frequentemente encontradas em acidentes, suicídios e raramente em homicídios. As quedas acidentais ocorrem com frequência na construção civil, onde elas representam cerca de 40% dos acidentes de trabalho de trabalhadores que atuam em alturas.

Saiba mais sobre "Acidentes de trânsito", "Acidentes", "Suicídio", "Traumatismos cranianos" e "Queda da própria altura".

Quais são as características clínicas das quedas de altura?

Se uma pessoa cair de uma altura acima de um metro e oitenta, é provável que sofra ferimentos graves. Mesmo se a altura da queda for menor, pode deixar a vítima com alguma sequela4, de modo a torná-la incapaz de realizar sua rotina de atividades.

A gravidade ou fatalidade das lesões1 depende não apenas da altura da queda, mas também da posição de aterrissagem do corpo, da natureza da superfície de impacto, dos objetos encontrados no caminho da queda, do tipo de pessoa (criança, jovem ou idoso; magro ou obeso, etc.) e das roupas e medidas de segurança que possam estar sendo utilizadas, nos casos de trabalhadores que trabalham em altitudes elevadas.

As lesões1 por desaceleração (quedas) envolvem caracteristicamente estruturas de sustentação maior de peso com forças transmitidas através do pé, perna, pelve5 e coluna vertebral6. As consequências mais importantes são lesões1 esqueléticas. As lesões1 da extremidade inferior são susceptíveis de serem unilaterais e cominutivas (fraturas compostas por múltiplos fragmentos7 ósseos), porque a força de desaceleração é aplicada a uma pequena área, quando a pessoa cai de pé.

O modo de impacto influencia as lesões1 individuais. Cair de cabeça8 é bem mais grave e fatal que cair em qualquer outra posição. A gravidade da lesão9 aumenta quanto mais brusca é a desaceleração.

As lesões1 produzidas por quedas podem ter padrões diferentes. Lesões1 mais severas ocorrem quando as forças de desaceleração são aplicadas ao corpo de modo vertical (a pessoa cai em pé ou de cabeça8). Entre as múltiplas lesões1 possíveis, na cabeça8 é comum que ocorra fratura10 craniana deprimida, contusão11 cerebral e hemorragia12 intracraniana; no tórax13 pode-se encontrar contusão11 pulmonar, ruptura dos brônquios14 ou da aorta15 e fratura10 do esterno16 resultante da hiperflexão do queixo; na coluna espinhal, os corpos vertebrais podem ser fraturados e no abdômen geralmente ocorrem lesões1 nos intestinos17, sobretudo nas junções de porções móveis.

Primeiros socorros após uma queda de altura

A primeira coisa a fazer é chamar imediatamente uma ambulância que transporte o paciente para o hospital mais próximo. Ao mesmo tempo deve-se observar se a vítima está consciente. Se estiver inconsciente, deve-se verificar se está respirando e se o coração18 está batendo. Se a constatação for negativa, fazer respiração boca19-a-boca19 e/ou massagem cardíaca até chegar ajuda especializada.

Se a vítima não conseguir se levantar após a queda, evite movê-la. Em caso de evidente fratura10, imobilizar emergencialmente o membro fraturado na posição em que esteja, usando tábuas ou tecidos, por exemplo. Em caso de sangramento, fazer pressão sobre o local da hemorragia12 com a própria mão20 (se tiver luvas à disposição ou um pano limpo) por, pelo menos, 10 minutos.

Veja também sobre "Fratura10 óssea", "Hemorragias21", "Concussão cerebral22", "Escala de Coma23 de Glasgow", "Hematoma24 subdural" e "Lesões1 da medula espinhal25".

 

ABCMED, 2018. Queda de alturas: como é e quais são os primeiros socorros à vítima?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1321333/queda-de-alturas-como-e-e-quais-sao-os-primeiros-socorros-a-vitima.htm>. Acesso em: 16 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Sequela: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
5 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
6 Coluna vertebral:
7 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
8 Cabeça:
9 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
11 Contusão: Lesão associada a um traumatismo que pode produzir desvitalização de tecidos profundos.
12 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
13 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
14 Brônquios: A maior passagem que leva ar aos pulmões originando-se na bifurcação terminal da traquéia. Sinônimos: Bronquíolos
15 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
16 Esterno: Osso longo e achatado, situado na parte vertebral do tórax dos vertebrados (com exceção dos peixes), e que no homem se articula com as primeiras sete costelas e com a clavícula. Ele é composto de três partes: corpo, manúbrio e apêndice xifoide. Nos artrópodes, é uma placa quitinosa ventral do tórax.
17 Intestinos: Seção do canal alimentar que vai do ESTÔMAGO até o CANAL ANAL. Inclui o INTESTINO GROSSO e o INTESTINO DELGADO.
18 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
19 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
20 Mão: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
21 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
22 Concussão cerebral: Perda imediata da consciência no momento de um trauma, mas recuperável em 24 horas ou menos e sem seqüelas. Acompanha-se de amnésia retrógrada e pós-traumática, isto é, o paciente não se recorda do trauma, dos momentos que o antecederam, nem de eventos imediatamente posteriores. Hoje a tendência é considerar a concussão como resultante de um grau leve de lesão axonal difusa.
23 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
24 Hematoma: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
25 Medula Espinhal:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.